no dia 12 de novembro é celebrado o dia mundial do hip-hop, que não vamos falar que é apenas um gênero musical, mas também um grande movimento cultural surgido no bronx, gueto nova-iorquino na década de 70. a sonoridade do hip-hop traz a influência de uma diversidade enorme de gêneros musicais, a maioria de origem negra, como o funk, o rock, o blues, o reggae, o soul e o rhythm and blues.

clive campbell aka kool herc foi o dj que, influenciado pela cena sound system de kingstown – sua terra natal, se tornou o “pai do hip-hop”, organizando festas nos quarteirões do bronx, as chamadas block parties. e fazendo apresentações com vinys, isolando a parte instrumental do disco, o que ficou conhecido como break, e isso fez com que a base da música hip-hop fosse criada.

falando sobre hip-hop, é bom lembrarmos que zulu nation não é uma série da netflix, assim como tags não são apenas marcações nas redes sociais e “xis” não é a antepenúltima letra do alfabeto! ???? 

e assim, nunca vimos tantas minas do gênero surgindo e se consagrando não só no exterior, mas principalmente no brasil nos últimos anos. com certeza rihanna, beyoncé, cardi b, ms. lauryn hill, tlc e missy elliot são referência e também influenciam essa nova geração de artistas tanto cultural como musicalmente. e aqui a gente separou 10 minas do rap nacional para você conhecer e ouvir:

 

clau

gaúcha de passo fundo, Clau começou sua carreira postando videos e clipes covers no youtube. em 2018 lançou seu primeiro ep pela universal music, mas foi com “pouca pausa”, parceria com Cortesiadacasa e Haikass, que levou a cantora a nível nacional alcançando o disco triplo de platina.

foto: divulgação

negra li

Negra Li é além de cantora e rapper, atriz também. solista do coral da universidade de são paulo, ela estuda música e piano e é considerada uma das principais cantoras do rap nacional. iniciou sua carreira com o grupo de rap RZO e logo depois começou uma parceria com o rapper helião. lançou o grande hit “você vai estar na minha”, que é considerado um dos maiores sucessos do hip-hop no brasil. e é sempre bom lembrar também do feat. que ela fez com Chorão (do Charlie Brown Jr.) em “não é sério”.

foto: divulgação

malía

da cidade de deus para o brasil, Malía tem 21 anos e é integrante do coletivo DUTO, que tem o objetivo de desenvolver novos artistas da música negra. com muito talento e atitude, e também em pouco tempo de carreira, ela já soma muitas conquistas se afirmando como uma forte voz feminina na música urbana. com músicas que entraram na trilha de várias novelas, ela foi uma das grandes atrações do rock in rio no ano passado e também lançou a música incrível “faz uma loucura por mim”, em parceria com alcione, que é uma de suas maiores inspirações da vida.

foto: divulgação

drik barbosa

a cantora e compositora paulistana compõe desde os 14 anos. de são paulo para o mundo, suas letras falam de amor e das formas de expressá-lo. ela também é dona da rima em “mandume”, música do emicida que fala sobre a resistência da mulher negra. e assim acabou participando também de colaborações com vários artistas como flow mc, projota e amiri. 

foto: divulgação

mariana mello

sua música traz suas vivências e experiências pessoais, sempre com o tema do empoderamento feminino e a expansão da consciência. a cantora começou a lançar músicas de trap e rap e ela vem se diversificando cada vez mais no pop. seu estilo tem também muitas referências do hip-hop clássico dos anos 90.

foto: divulgação

tássia reis

uma usina criativa de convicções que vem se destacando no cenário musical brasileiro, construindo canções sublimes embaladas por sua voz doce e ao mesmo tempo forte. formada em design de moda, Tássia Reis lançou sua própria marca de roupas. suas músicas passeiam entre o rap, o jazz, o samba e outras vertentes da música negra e a mensagem que ela quer passar é a de dar voz e empoderamento às pessoas que são silenciadas pela sociedade.

foto: divulgação

flora matos

dona do hit “pretin”, Flora estourou em 2014 e desde então emplacou um hit atrás do outro. criada por uma família de artistas, aos 4 anos ela já subia aos palcos e aos 13, passou a frequentar bailes de rap. “pretin” entrou no top 10 da mtv e foi indicada como hit do ano no vmb 2011.

foto: divulgação

cynthia luz

nascida em minas, a cantora se mudou para o interior de são paulo e começou se apresentando em bares e festas. em 2017 deu início ao seu projeto com o rapper mc froid e ganhou bastante força no mercado musical. durante a quarentena, lançou o álbum “não é só isso”.

foto: divulgação

bivolt

Bárbara Bivolt é cria das batalhas de mcs em são paulo. com rimas marcantes e de métrica única, ela mostra em suas músicas que a mulher não se encaixa nos estereótipos criados pelo homem. em “poetisas no topo” e “eu avisei”, isso fica nítido.

foto: divulgação

abronca

descobertas por um selo inglês, o duo ABRONCA estourou ainda como Pearls Negras na formação do trio em 2014. a partir daí se reinventaram com o novo pseudônimo artístico e vem se consolidando na cena do rap nacional e se destacando em festivais como o rock in rio.

foto: divulgação

todas essas minas estão na nossa playlist grl pwr, que esse mês está totalmente dedicada às mulheres do do hip-hop. ouçam aqui. 

 


este post foi feito pelo bananas music branding, parceiro musical da youcom. saiba tudo sobre eles aqui.

Comentários estão fechados.