É só ligar o rádio ou a TV, entrar no Youtube ou no Spotify, sair pra dançar em qualquer capital ou cidade do interior pra perceber que a onda latina só cresce no Brasil. Cada vez mais os olhares do público e dos artistas se voltam para a música latina, um som com características tão marcantes, misturadas e complexas quanto a própria construção cultural do nosso continente.

Para ter uma noção, desde 1996, uma música em espanhol não fazia tanto sucesso no Brasil como “Despacito” fez. O último som a fazer tal barulho foi “Macarena”, e mesmo tendo entrado pro setlist obrigatório das festas de casamentos e formaturas, o sucesso da música não se compara a força do chiclete que ganhou versão até do Justin Bieber. Isso porque foi, sobretudo, depois do lançamento do hit que o Brasil se abriu para o reggaeton e pro idioma dos nossos países vizinhos. Prova disso foram as parcerias da Claudia Leitte com Daddy Yankee, da Ludmilla com Zion & Lennox e a união da Anitta com J Balvin e Maluma – isso sem falar da carreira solo internacional dela e a famosa “Paradinha” ♥

E não é só na cena mainstream brasileira que a música latina reverbera, o fenômeno chegou nas bandas independentes também. A tendência ainda pode ser percebida nos line ups e no crescimento de festivais independentes no Brasil, que procuram abraçar cada vez mais essa identidade latino-americana. Os incríveis El Mapa de Todos (RS), Festival Mucho (SP), Contrapedal (SP) são alguns deles.

Observando esse cenário, o Bananas Music Branding, empresa especializada em curadoria e conteúdo musical pra marcas, e nossa parceira ♥, lançou em agosto um trend report super completo contando tudo sobre esse fenômeno. Você pode ler ele aquiOu ainda participar do evento que vai rolar no dia 28 de setembro, na Área 51, em Porto Alegre. Nesse dia vai rolar apresentação do report com informações que ficaram de fora do report, painel sobre o tema com convidados e ainda um pocket show com a Cuscobayo. Se quiser saber mais, se liga no evento. E pra aquecer, a nossa Youcom Apresenta, tá com uma edição especial com bandas independentes brasileiras influenciadas por ritmos latinos. Nós falamos um pouquinho sobre 5 delas aqui:

1. Cuscobayo

Criada lá no século 20, a murga é um estilo musical uruguaio que tem como base a percussão de instrumentos como, por exemplo, o bombo, o redoblante e os platillos de entrechoque. No inverno de 2012, na serra gaúcha, se formou a Cuscobayo, uma banda que pretendia trazer pro cenário nacional uma mistura desse estilo com folk, reggae e rock. Falando assim, parece que tal junção de ritmos seria complexa, mas não. Com um violão, um cajon, uma percussão, um baixo e um trompete, a banda coloca todo mundo pra bailar. “Cuscobayo”, primeiro álbum do grupo, lançado em 2016, é daqueles pra ouvir de pés descalços, rodeado de amigos, dançando. E o melhor: eles são atração confirmada no Music Trends 🙂

2. La Cumbia Negra

Formada por músicos conhecidos da cena independente brasileira como, por exemplo, o produtor Carlos Miranda, Guri Assis Brasil (Pública) e Gabriel Guedes (Pata de Elefante), a La Cumbia Negra é sobretudo uma junção de amigos que se reuniram pra tocar músicas dançantes pra lá de animadas. No seu primeiro disco, lançado em 2016, eles trazem uma mistura inovadora entre cumbia, chica, rock e ritmos do Norte do Brasil com o carimbó e a guitarrada. É pra ninguém ficar parado.

3. Francisco, El Hombre

A Francisco, El Hombre é uma das grandes revelações dos últimos anos, tanto quando falamos sobre a união entre música latina e brasileira, quanto para a prória música indepedendente. O enérgico “Soltasbruxa”, lançado em setembro do ano passado, e suas músicas engajadas politicamente caíram como uma luva pro momento atual do país. A linda “Triste, Louca ou Má”, canção protagonizada pela vocalista Juliana Strassacapa, virou hino feminista. “Bolso Nada”, com participação da Liniker, um grito contra o conservadorismo. E não são só padrões que a Francisco vem tentando quebrar, mas também fronteiras. Recentemente, eles lançaram um EP e vem fazendo uma turnê com a banda uruguaia Cuatro Pesos de Propina.

4. Nômade Orquestra

A Nômade Orquestra, como já dá spoiler no próprio nome, é uma big band do ABC paulista que não enxerga fronteiras no mundo, muito menos na música, explorando assim ritmos que vão do jazz, funk, rock, reggae e blues até a música africana e latina. O caldeirão de referências vem do repertório individual de cada um dos integrantes e já rendeu dois discos pra lá de groovados: “Nomade Orquestra”, de 2014, e “EntreMundos”, lançado esse ano.

5. Macumbia

A Macumbia foi criada em 2012, em João Pessoa, com um único objetivo: ‘fazer com que a felicidade chegue aos ouvidos, infectando o coração, cintura e pés de passaportes, fronteiras e culturas distintas’. Pra isso, eles reuniram um time de peso que conta com integrantes da Amazônia, Paraíba, Venezuela e até mesmo dos Estados Unidos. Essa união resultou músicas que misturam ritmos caribenhos com os tradicionais brasileiros, cantadas em português, espanhol e inglês.

Curtiu? Esses e outros artistas brasileiros que vem rompendo fronteiras, você ouve na edição especial da Youcom Apresenta:

One Response to YC APRESENTA: AS BANDAS BRASILEIRAS QUE VEM ROMPENDO FRONTEIRAS LATINO-AMERICANAS

  1. Felipe disse:

    Faltou O Grande Grupo Viajante nessa lista, banda incrivel que toca pelas ruas de SP, inclusive eles tocaram na Festa da YOUCOM na Rua em SP! Eles fazem musicas com ritmos latinos e algumas em espanhol. Inclusive acabaram de lançar um discão lindo que se chama Todas as Cores.

    https://www.facebook.com/grupoviajante/
    Youtube: https://youtu.be/EvvCRMwfH2g
    Spotify: https://goo.gl/BrGD1s

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *