Nessa sexta começa a semana da música! Uma semana inteirinha pra comemorar e homenagear quem muitas vezes nos tira da fossa, nos inspira e até mesmo nos dá força pra levantar e dar aquela faxinada na casa. Também entramos no clima dessa comemoração, lançando hoje um desafio de 7 dias, 7 músicas, lá nos stories do nosso Instagram. Mas aqui no blog, a gente vai além, e escolhe a dedo 1 disco pra cada categoria:

DIA 1: UM DISCO PRA RELAXAR

A nossa dica de álbum pra quem quer relaxar é Brasileiro, do Silva. Lançado em maio desse ano, o disco tem uma vibe tranquila, leve, que faz qualquer um relaxar, sem dormir. É um disco espontâneo cheio de referências à música popular brasileira. Músicas, como o próprio Silva canta em a “A Cor é Rosa”, para você “abraçar o sol e fechar os olhos / para falar de amor, deitar em seu colo”.

Pontos altos do disco: “A Cor é Rosa”, “Fica Tudo Bem” e “Duas da Tarde”.

DIA 2: UM DISCO PRA INSPIRAR

Depois de 5 anos de espera, Karol Conká está de volta com um novo disco: Ambulante. Mas, pera, falar que ela está de volta soa falso quando sabemos que, embora a curitibana não tenha lançado um álbum nessa última meia década, em nenhum momento se afastou dos palcos ou ainda de tantos outros espaços importantes. Foi nesse meio tempo que Karol foi conquistado o Brasil e usou de espaços tradicionais da mídia pra quebrar tabus, disseminar o rap feminino e, ainda, falar por quem muitas vezes não tem voz: as mulheres, negros e LGBTs.

E essas vivências estão todas reunidas no novo álbum da cantora, que é pessoal, verdadeiro e INSPIRADOR. Como ela mesma diz no vídeo de apresentação do disco: “Sejam bem-vindos à minha nova era. Eu escrevo minhas canções colocando minha vida em cada frase para cicatrizar feridas e para te lembrar que a vida é o que vale. Eu sei que para alguns deve ser difícil me ver bem sucedida, mas eu falei que não ia desistir”.

Pontos altas do disco: “Vida Que Vale“, “Bem Sucedida“ e “Vogue do Gueto“.

DIA 3: UM DISCO AMORZINHO PRA VOCÊ LEMBRAR DE ALGUÉM ESPECIAL

A gente AMOU o novo disco do Rubel, Casas, lançado lá em março. “Partilhar“ virou trilha sonora amorzinho de muita gente, mas nós não podemos negar que Pearl, primeiro registro do carioca, deixou saudades. O EP nada mais é que um compilado de músicas sobre amor, histórias que você nem viveu e gostaria de ter vivido, lembranças. As músicas são doces e dão aquele sentimento bom de nostalgia, de quentinho no coração. E tem música pra todo tipo de amor: pra um familiar que você ama (Ben), pro crush da sua vida (Quando Bate Aquela Saudade) ou ainda pra um amigo (O Velho e o Mar).

Pontos altas do disco: “Quando Bate Aquela Saudade“, “O Velho e o Mar“ e “Ben“.

DIA 4: UM DISCO QUE NÃO PODE FALTAR NO KARAOKÊ

Se você era criança nos anos 1990 ou mesmo já adulto ou adolescente, não tem jeito: não escapou do FENÔMENO Sandy e Junior. A dupla infantil que em um primeiro momento era sertaneja cresceu sendo televisionada e grudou uma série de chicletes na nossa cabeça. E, hoje, a galera que era fã de carteirinha cresceu e adora relembrar os velhos tempos cantando músicas da dupla no karaokê. Foi difícil escolher um disco que não pode faltar na hora de soltar a voz, mas Quatro Estações, isso mesmo aquele que tinha quatro opções de capa, é unanimidade quando o assunto é número de letras facilmente cantáveis em público. No álbum de 1999, você encontra clássicos como “Imortal“, “Olha o Que o Amor Me Faz“, “Vamô Pulá!“, “As Quatro Estações“ e ainda na versão ao vivo o hit da dupla mais pedido em karaoke: “A Lenda“.

Pontos altas do disco: “Imortal“, “Vamô Pulá!“, “As Quatro Estações“ e “A Lenda“.

DIA 5: UM DISCO PRA ENTRAR NO CLIMA DO VERÃO

Desde que lançou “Open Bar“, lá em 2015, Pabllo Vittar é hit o ano inteiro e, principalmente, no verão brasileiro. As músicas divertidas, radiofônicas e animadas da drag tem tudo a ver com o clima quente  e leve da estação. E, a melhor parte, é que ela acaba de lançar disco novo. Não Pára Não como já revela no título é um disco CHEIO de hits, pra ouvir do início ao fim, sem parar. Além disso, o ritmo dele é frenético e, com certeza, vai bombar muito nas pistas e na trilha sonora da sua pool party. Pode ter certeza, esse vai ser um dos discos do verão 2019.

Pontos altas do disco: “Problema Seu“, “Disk Me“ e “Buzina“.

DIA 6: UM DISCO QUE NEM TODO MUNDO CONHECE MAS DEVERIA CONHECER

Natural do Recife, porém moradora do Rio há treze anos, Eduarda Bittencourt ganhou nosso coração (ou o destruiu) com seu primeiro disco lançado em abril desse ano e desde lá a gente não para de falar da menina. Sinto Muito é um álbum para corações reconstruídos, com músicas sinceras, “à flor da pele”, que falam sobre o amor nas suas mais diferentes formas. Misturando o pop com pinceladas das melhores influências atuais (indie, r&b, tecnobrega, axé, trap), a pernambucana nos entregou um disco delicioso que não deveria passar despercebido pelas playlists de ninguém!

Pontos altas do disco: “Bédi Beat“, “Bichinho“ e “Bolo de Rolo“.

DIA 7: UM DISCO PRA SAIR DA BAD

Mahmundi esquentou o nosso inverno com o lançamento do disco Pra Dias Ruins, lá em agosto. A gente fala esquentou porque o clima dos discos da carioca, sempre regados à muitos sintetizadores, é de praia, sol e mar. Mas, nesse segundo álbum ela foi além. Nos apresentou um registro com músicas que tem uma abordagem positiva sobre a vida e suas dificuldades, usando o amor pra melhorar dias ruins. O disco é lindo, solar e aos pouquinhos, como quem não quer nada, vai colocando um sorriso no nosso rosto, fazendo a gente olhar os problemas por outro ângulo. E como já cantou a cantora: “Felicidade vem de dentro pra fora, rebate na gente. Gira em círculos, invade a sua porta. Palavra que renova. É amor, é mar. É mar, mar de amar.“

Pontos altas do disco: “Alegria“, “Outono“ e “Felicidade“.

Curtiu as nossas dicas? Então, nos segue lá no Spotify e não esquece de postar o desafio no instagram 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *