Não, o indie não vai morrer. O movimento que surgiu nos anos 1980 e ganhou uma cara nova – estrelada pelos bonitos da Arctic Monkeys, The Strokes, The Killers e tantos outros expoentes do estilo no início dos anos 2000 – tá muito longe do seu fim.

Contrariando as más línguas, o gênero vai MUITO bem. Para provar isso, ou para simplesmente dar uma alegria a mais para os fãs do estilo, nós separamos 7 discos indie lançados no segundo semestre desse ano, que estão incríveis. E que, claro, não ficaram fora da nossa rádio. Para ouvir, clique aqui.

1. Leisure, Leisure

Unknown Mortal Orchestra, Lorde, Kimbra, Broods. A água da Nova Zelândia só pode ter sido contaminada com talento nos últimos anos. E o último, vindo dessas terras, foi Leisure.

A banda é, na verdade, um coletivo que faz tudo relacionado a música: desde escrever as  letras dos sons, até gravá-los; criar o projeto gráfico, e ainda pensar e produzir os videoclipes. Embora o coletivo seja formado por esses super-músicos, ainda não sabemos com clareza quem são eles. Desde o lançamento de “Got It Bad”, primeiro single do álbum homônimo, se instalou esse climão de suspense sobre quem está por trás da formação da banda. 


O suspense em torno do coletivo não diz respeito apenas a identidade dos seus integrantes, mas também pode ser direcionado a expectativa que a banda criou nos fãs até que o début fosse lançado. Isto porque foram SETE singles até chegarmos aqui!

O importante é que a espera valeu a pena: são 12 faixas repletas de baixos groovados, que instalam uma vibe dançante nas músicas. Parecida com a do novo pop psicodélico, de bandas como Toro Y Moi e Unknown Mortal Orchestra. 

2. saintmoteltelevision, Saint Motel

Se você é fã do indie energético, feito por bandas como The Killers e Phoenix, no início dos anos 2000, mas tá cansado das letras deprê, vai amar o novo do Saint Motel. A banda está na estrada desde 2012 e já tinha apresentado músicas animadas, de ritmos alegres e vocais leves no disco “Voyeur” (2012) e no EP “My Type” (2014). Porém, o último disco deles, lançado agora em Outubro, superou as expectativas.

É pra arrastar os móveis e dançar. Pra completar, o álbum veio acompanhado do single “Move”, que ganhou um clipe interativo, onde é possível movimentar uma câmera em 360º e escolher entre um lyric videos “normal” ou explorar as demais possibilidades do clipe.

3. Summer 08, Metronomy

Parece que foi ontem que o Metronomy surgiu, mas – pasme – já se foram cinco álbuns. E “Summer 08” é mais um recomeço na história da banda.

No novo álbum, o grupo ainda sobrevive das músicas minimalistas e econômicas. No entanto, também há espaço para músicas com estruturas diferentes e referências à bandas que vão de Talking Heads e Prince, até MGMT e LCD Soundsystem.

As letras, agora, falam mais sobre saudade e relacionamentos que não deram certo, do que sobre momentos feliz. Mas se engana quem pensa que, pelas letras, o disco é triste. Que nada! Boa parte do tempo é dançante e promete ganhar as pistas das house parties ainda em 2016!

4. How to Be a Human Being, Glass Animals

“How To Be a Human Being” já se vende pelo título! O segundo álbum do Glass Animals não é um manual sobre como viver, mas sim sobre o que é viver.

A inspiração do álbum e os seus personagens vêm de conversas que a banda teve com seus fãs, durante a turnê mundial do seu primeiro álbum, ZABA (2014). A banda levou as histórias tão a sério que, além delas virarem músicas, elas também ganharam clipes. Como este aqui:

Além do conceito incrível deste álbum, o som também agrada muito! Quem conhece o trabalho do Glass Animals (um indie pop esquisito), que bebe do R&B e do Trip Hop, vai curtir este último disco da banda. É como se fosse uma parte dois, das boas, de ZABA. E a gente já está torcendo para que a terceira parte desta saga chegue logo 🙂

5. The Beautiful Games, Vulfpeck

Em 2014, o Vulfpeck virou notícia quando lançou o álbum “Sleepify”. O disco é inteirinho mudo, e serviu como protesto ao Spotify, plataforma de streaming que, segundo a banda, paga muito pouco aos artistas por faixa tocada. O resultado da ação foram quase 4 milhões de plays e 18 mil dólares na conta do grupo, que com a grana, fez uma turnê.

Dois anos depois dessa ação, o Vulfpeck já lançou mais dois álbuns. O último: The Beautiful Games, segue o estilo que mistura funk americano com uma atmosfera indie alternativa, cheia de sintetizadores.

As músicas alegres, acompanhadas de vocais que soam vintage, são uma homenagem linda à nomes como Jackson 5, Parliment e Stevie Wonder, por exemplo. Difícil não cantar junto!

6. Gameshow, Two Door Cinema Club

Two Door Cinema Club é atração confirmadíssima no line up do Lollapalooza 2017. E se você é daqueles que não conseguem desapegar dos discos antigos da banda, corre! Porque ainda dá tempo para decorar os sons de “Gameshow”, o novo álbum do trio.

O disco traz a mesma energia dos dois anteriores. São músicas que flertam com o indie rock e são embaladas por sintetizadores, referências à música eletrônica dos anos 1980, e até mesmo a bandas atuais como The 1975 e Bastille.

Então, dá uma chance para “Are We Ready?” e “Bad Decisions”, os singles do álbum? 🙂

7. Heads Up, Warpaint

Warpaint é uma das nossas bandas do coração. O quarteto formado só por garotas ♥ é de tirar o fôlego!

Os dois primeiros álbuns da banda já tinham deixado claro o potencial de inventividade das garotas. “Heads Up” superou nossas expectativas nesse sentido, porque as músicas continuam com aquele clima sensual e sombrio, em que parece pairar uma nuvem nebulosa. Porém, nesse álbum, as mensagens ficam mais diretas, dando lugar até mesmo pra músicas chiclete como “New Song”.

É pop, mas não é radiofônico! Afinal, é difícil encontrarmos músicas comerciais com mais de 5 minutos e quase todas do disco estão nessa faixa de tempo. Durante a duração dos sons dá pra perceber que as garotas continuam gravando os discos de uma forma que mais se aproxime do “ao vivo”, onde todo som tem uma reação e, em “So Good”, por exemplo, rola até uma virada de estilo no meio da música, típica de shows.!

O clima experimental também está no clipe de “New Song”, vem ver:

E aí, algum álbum ganhou seu ♥? Deixa nos comentários.

Comentários estão fechados.