fes.ti.val 

adj (festivo+al3) V festivo. sm 1 Grande festa. 2 Cortejo cívico. 3 Espetáculo em honra e benefício de alguém. 4 Realização periódica de entretenimento ou competição artística de determinada espécie: Festival do cinema; festival de música.

O próprio significado de festival, como dita o dicionário Michaelis, já deixa claro que o evento é aberto, livre de interpretações. O importante é que em um festival role festa, entretenimento e, claro, música, arte e até mesmo cinema. Pensando nesse conceito, encontramos 7 eventos que fogem dos típicos line ups e dos palcos principais e secundários. Não que nós não AMEMOS os festivais tradicionais, mas é sempre bom ficar por dentro de experiências novas, né? Vem vivê-las com a gente:

1. Underwater Music Festival (Flórida, EUA)

Há 32 edições, o Underwater Music Festival atrai turistas para Big Pine Key, costa litorânea da Flórida, nos Estados Unidos. Assim como já anuncia no nome, o festival é feito EMBAIXO d’água. Isso mesmo. Músicos tocam instrumentos náuticos exóticos e são assistidos pelo público que precisa reservar roupas de mergulho dias antes pra ver tudo de pertinho, de baixo d’água. Os músicos costumam tocar clássicos como “Yellow Submarine”, dos Beatles”, e “Honky Tonk Woman”, dos Rolling Stones. Aqui dá pra sentir um pouquinho da energia do festival:

2. Burning Man (Nevada, EUA)

Hoje, o Burning Man é um dos maiores festivais dos EUA, mas não é por isso que ele deixou de ser diferentão. O festival rola desde 1986 na primeira semana de setembro em Black Rock Desert, uma cidade temporária construída colaborativamente pelas 60 mil pessoas que passam todos os anos pelos festival. Durante os 8 dias de Burning Man, o público precisa levar TUDO que necessita pra sobreviver no deserto. No festival, só é vendido gelo e café. Isso só quer dizer 1 coisa: você vai passar dias no deserto sem conforto, mergulhado na arte. Os organizadores do festival dizem que essa é a verdadeira essência do festival: fazer com que todos o aproveitem no extremo.

10689885_10152642964380589_1252625693314946191_n

Além disso, não existem atrações principais além dos próprios participantes que são incentivados a compartilhar e a interagir com arte, música e performances todo o momento. Outra coisa legal é que, durante o festival, o principal meio de transporte são as bikes.

No final do Burning Man, todas as instalações gigantes são queimadas. Incrível, não?

Burning Man 1

3. Symbiosis (California, EUA)

O festival Symbiosis é o irmão californiano do Burning Man. Os dois festivais carregam no DNA uma veia superartística, além de oferecer ao público uma experiência de festival única devido ao lugar onde se passam. O Symbiosis, por exemplo, rola na Woodward Reservoir, uma reserva florestal que fica de frente para um lago de Oakdale. No lago, o público pode entrar em contato com os art boats, instalações de arte em forma de barco, e até mesmo navegar pelo lago através delas.

Symbiosis2

Assim como no Burning Man, os participantes precisam levar sua própria comida para passar os 4 dias de festival nos campings da reserva. O festival oferece garrafas de água, além de muitos tipos de atividades ligadas à arte e à música, que vão desde instalações e performances, até oficinas, palestras e aulas de yoga.

Symbiosis1

4. Holy Ship! (Flórida, EUA)

Todos os anos, um cruzeiro sai do porto de Miami, nos Estados Unidos, em direção as Bahamas. Até aí, nada de novo. A novidade é que esse barco tá LOTADO com 4 mil pessoas, dentre elas DJs como Diplo, Skrillex, Justice, Gramatik, Flume e muitos outros. O festival Holy Ship! acontece desde 2012 em um navio tradicional com piscina infinita, SPA, cassino, comidas e bebidas à vontade, tudo e MUITO mais que um cruzeiro oferece.

Holy Ship

5. Newport Folk Festival (Newport, EUA)

Se você curte banjos, violões e gaitas, o Newport Folk Festival é o seu lugar. O festival que rola em Newport, nos Estados Unidos, é feito SÓ de música folk. E quando nós falamos de folk, nos referimos à música folclórica/tradicionalista americana, que inclui ritmos com o próprio folk, o bluegrass, o blues, o country e até mesmo ritmos mais recentes, como o indie folk e o folk punk. Então, embora o festival seja pra um público específico, você não vai precisar ficar ouvindo desdobramentos de Bob Dylan por 3 dias seguidos. Na edição desse ano, por exemplo, o festival receberá nomes como Father John Misty, Violent Femmes, The Arcs, Edward Sharpe & The Magnetic Zeros, Norah Jones e Ryan Adams. Tá bom de line up, né? 🙂

Newpork folk

6. SXSW (Texas, EUA)

Já faz 29 anos que uma semana do mês de março é especial para os moradores de Austin, no sul dos Estados Unidos. O motivo? É por lá que acontece o South By Southwest, mais conhecido como SXSW, um festival que une tudo que há de novo na moda, design, cinema, tecnologia e música.

SXSW

O evento rola por 10 dias no centro de Austin. O lugar fica LOTADO, e o pessoal maluco com tantos workshops, palestras, shows, feiras e exibições de filmes acontecendo ao mesmo tempo. O negócio é que cada um escolhe o que quer fazer, afinal, sempre pode aparecer um show surpresa ou uma palestra com um famoso quando você menos espera.

Curtiu o SXSW? Fizemos um post em abril apostando em músicos que passaram pelo festival nesse ano 🙂

7. Festival Path (São Paulo, Brasil)

Inspirado no SXSW, o Festival Path chegou na sua 5ª edição em 2016 e infelizmente ainda não é conhecido nacionalmente. Ele mistura música, gastronomia, cinema e tecnologia em 2 dias de festival. Nesse final de semana, as bandas tocam ao ar livre nas praças Omaguás e Professor Resende Puech durante o dia, e no Estúdio Tomie Ohtake, à noite.

festival-path

Além dos shows, ainda rolam food trucks; palestras em diversos formatos (bate-papo, fala solo, debate, entrevistas…), com duração de 1 hora, sobre inovação e criatividade; uma feira com start-ups; e um festival de documentários. Nesse ano, por exemplo, foram 28 bandas – entre elas O Terno, Karol Conka, Mahmundi – mais de 25 documentário exibidos, 150 palestras, 16 food trucks e 22 start-ups expondo. Incrível, né? Já coloca na agenda pro ano que vem 🙂

E aí, curtiu os festivais? Deixa nos comentários o seu favorito 🙂

Comentários estão fechados.