Você não ouve um disco e sai falando pros amigos: “Nossa, que mixagem incrível!”. Mas, acredite se quiser, a boa produção de um álbum faz toda a diferença. Existem caras que trabalham nos bastidores da música escolhendo cada detalhe para que um disco traduza exatamente o que a banda quer passar naquele momento.

No fim, os produtores acabam sendo um integrante a mais nas bandas. O trabalho dos caras é tão importante que separamos 6 produtores que são sempre sinônimo de que vem coisa boa por aí:

1. Danger Mouse

Em 2004, Brian Burton ainda não era Danger Mouse. Pelo menos não como a gente conhece o cara hoje. O que mudou a carreira do produtor foi o lançamento do “The Grey Album”: uma mixagem GENIAL dos vocais do “The Black Album”, do rapper Jay-Z, com o instrumental do clássico “The White Album”, dos Beatles.

Depois disso, Brian só fez coisas INCRÍVEIS. Formou o The Broken Bells <3, escreveu o chiclete “Crazy”, do Gnarls Barkley, e produziu álbuns memoráveis do Black Keys, Gorillaz, Beck, Portugal. The Man, Norah Jones e até mesmo dos ~dinos~ do U2. E vem trabalho com o Red Hot Chilli Peppers por aí…

Pra ouvir: Demon Days, do Gorillaz; After The Disco, Broken Bells e Brothers, do Black Keys.

DangerMouse

2. Greg Kurstin

Greg Kurstin é pop, mas não é do tipo que curte trabalhar com fórmulas super comerciais. O produtor consegue fazer músicas improváveis virarem hits. Só no último ano, ele deu pitaco em álbuns como “Ultraviolence”, da Lana Del Rey, “1000 Forms Of Fear”, da Sia e “I Never Learn”, da Lykke Li. Resumindo: o cara produziu os discos pops mais legais dos últimos tempos!

E o melhor: agora em novembro sai o tão esperado disco da Adele, que vai ser produzido por ele. O single “Hello”, que recém foi lançado, tá incrível. Não podemos esperar menos deste disco com uma dupla dessas reunida.

Pra ouvir: It’s Not Me, It’s You, da Lily Allen; 1000 Forms Of Fear, da Sia e Torches, do Foster The People.

GregKurstin

3. Dave Fridmann

Dave Fridmann é mais um do clube de músicos que trocaram o palco pelos bastidores. O americano era baixista do Mercury Rev nos anos 1990 quando recebeu uma proposta de produzir o Flaming Lips. Hoje, Dave é referência no ramo e trabalha bastante com música psicodélica. No currículo, ele carrega álbuns do Flaming Lips, MGMT, Tame Impala e até mesmo bandas como OK Go, Spoon e The Vaccines.

Pra ouvir:Yoshimi Battles the Pink Robots”, do Flaming Lips; “Oracular Spectacular”, do MGMT; “Of the Blue Colour of the Sky”, do OK Go.

DaveFridmann

4. Mark Ronson

“Uptown Funk”, do Mark Ronson, é sem dúvida um dos discos mais legais de 2015. Além da mistura incrível de elementos do funk e do R&B, o que mais chama atenção no álbum são as participações especiais que incluem Kevin Parker (Tame Impala), Stevie Wonder, Bruno Mars e Mystical. O que muita gente não sabe é que antes de se colocar no topo das paradas, Mark Ronson também ajudou muita gente a chegar lá. Por isso a facilidade do cara em reunir tanta gente massa em “Uptown Funk”.

O trabalho mais bem sucedido do cara como produtor é nada mais, nada menos que “Back To Black”: o disco que alavancou de vez a carreira de Amy Winehouse. Ele também produziu Lily Allen, Duran Duran e até mesmo o seu próprio disco…

Pra ouvir:Off with Their Heads”, do Kaiser Chiefs; “Back To Black”, da Amy Winehouse e “Arabia Mountain”, do Black Lips.

MarkRonson

5. Noah Georgeson

Noah Georgeson é do time de produtores que não está preocupado em recriar os sons e sim em reproduzir eles em seus discos da maneira mais fiel possível. Mas, como assim? Essa onda de gravar com microfones super potentes que captam até pensamento, gravar instrumento por instrumento e depois recriar tudo não é com ele. O negócio do cara é a moda antiga. Ele quer que o som ambiente apareça no disco, quer silêncio entre as músicas. Afinal, ninguém ouve música com o ouvido dentro do violão….

Esse estilo dele é SUPER notável nos álbuns que produz. Devendra Banhart, Little Joy, Adam Green, Binki Shapiro e Rodrigo Amarante são alguns dos seus clientes fixos. Ele também já mixou The Strokes e Charlote Gainsbourg.

Pra ouvir:Cavalo”, do Rodrigo Amarante; “Mala”, do Devendra Banhart, “Little Joy”, do Little Joy.

Noah

6. Dave Sitek

Dave Sitek já passou pelo Yeah Yeah Yeahs, Foals, Liars, Jane’s Addiction e pelo TV on The Radio. O negócio é que o cara produziu TODAS essas bandas nas quais tocou. Tem muita gente que leva o trabalho dele como de “quebra-galho”, mas não funciona bem assim: o cara é ótimo na função e a gente até tem que agradecer por ele ter rodado tanto…

Pra ouvir:It’s Blitz!”, do Yeah Yeah Yeahs, “Seeds”, do TV On The Radio e “Antidotes”, do Foals.

david-sitek

Comentários estão fechados.