Até parece que foi ontem que jogar cara a cara, procurar tazo no salgadinho e andar por aí arrastando ~as tamancas~ era moda. As tendências dos anos 1990 voltaram com TUDO em 2015: gargantilhas, looks todos em jeans, xadrez, blusa ombro a ombro, piercing, cabelo colorido…

E claro que a música não ia ficar de fora dessa brincadeira. Até porque inevitavelmente essas duas formas de expressão incríveis acabam uma completando a outra, independente da década. Prova disso são essas bandas que estão trazendo os ritmos mais tocados 20 anos atrás pras Lojas Youcom:

 

1. “Believe I’m Going Down”, Kurt Vile

Os cabelos desgrenhados e compridos e a cara de quem recém acordou acompanhada de roupas que refletem tal “desleixo” denunciam: Kurt Vile é filho dos anos 1990.

Mas não é só da aparência cool que o ex-guitarrista do The War On Drugs vive. O cara lançou esse ano o seu sexto disco solo, “Believe I’m Going Down”, que mistura influências claras de bandas como Smashing Pumpkins e Nirvana. O resultado ficou tão incrível que já foi parar nas listas de melhores álbuns do ano.

kurt-vile

 

 

2. “Ivy Tripp”, Waxahatchee

Outra banda que não nega os anos 1990 é a Waxahatchee. Katie Crutchfield AMA essa ~vibe~ nostálgica. Isso fica BEM visível nas letras repletas de memórias e na sonoridade do projeto, que lembra bastante o indie rock de PJ Harvey e Kim Deal, do Sonic Youth.

O mais legal dessa banda é que ela não se perde nas suas referências. Resumindo: o som que a Waxahatchee faz é uma versão “moderna” de todas essas sonoridades nas quais se inspira. E fazer isso sem soar como cópia é difícil…

waxahatchee

 

3. “Feels Like”, Bully

Pra quem é fã de grunge, o álbum de estreia da Bully é um MUST HAVE na lista de discos pra ouvir ainda esse ano. Pra começar, a vocalista Alicia Bognanno se parece tanto física quanto no estilo de cantar com Courtney Love, do Hole, e Kat Bjelland, do Babes In Toyland.

Além disso, a garota foi estagiária no Electrical Audio Studio: o reduto do produtor Steve Albini, onde foram gravados álbuns como “In Utero”, do Nirvana, “Rid Of Me”, da PJ Harvey e “Surfer Rosa”, do Pixies. E óbvio que quando Alicia montou uma banda, fez questão de gravar diante dessa atmosfera… o resultado é um disco total 90’s. E não poderia ser diferente.

 bully

4. “Too”, Fidlar

A cultura do skate estourou nos anos 1990 e, claro, que a música a acompanhou. O ritmo escolhido pelos skatistas foi o skate punk e logo se formaram bandas como NOFX, Blink 182 e The Offspring que deram voz ao lema “garotas, tédio e cerveja”.

Em 2009, a Fidlar surgiu com o mesmo propósito. Assim como os seus veteranos, a banda também fala muito sobre temas políticos e cá pra nós podia ~de bowie~ ter tocado no discman de qualquer um de nós. Não acredita? Então você tem que ouvir esse som  🙂

fidlar

 

 

5. “Depression Cherry”, Beach House

O Beach House lançou esse ano o seu quarto álbum e até hoje ninguém entende direito como uma banda não comercial faz tanto sucesso na gringa. A gente explica: os caras pegaram referências super batidas lá do dream pop dos anos 1990 e trouxeram pra nossa realidade. Texturas esquisitas, ecos e vocais murmurados que pouca gente dessa geração conhecia.

E estrela dourada pra dupla porque recém saído do forno “Depression Cherry” tá BRUTAL graças a essas referências.

beach-house

 

 

6. “1943”, Bike

Não é só na gringa que a moda nostálgica tá pegando. “1943”, álbum de estreia da Bike, é um exemplo que esse movimento também chegou em terras verdes e amarelas. Pra muita gente as vozes e guitarras distorcidas do disco são sinônimo do rock psicodélico dos anos 1960, mas não: os paulistas, na verdade, se inspiraram no shoegaze dos anos 1990 pra criar essa atmosfera lisérgica.

bike

Comentários estão fechados.