São mulheres que produzem, cantam, outras que compõem pra si e pra outras, ainda tem as que são responsáveis por deixar tudo pronto pra que a amiga entre no palco e brilhe. Nós não podemos negar, as minas estão tomando conta da música! E além de flodar (E MUITO) o feed com essas artistas incríveis, também é importante incentivar essa primavera que floresce de mulheres na música indo nos shows e ajudando que o ciclo da música siga adiante. No cenário nacional, tem surgido diversos festivais que incentivam e dão espaço para as mulheres crescerem dentro do universo da música. Fica atenta a esses aqui:

1. Girls Rock Camp

O Girls Rock Camp é um movimento de educação musical para meninas que acontece em várias cidades do mundo. Ele foi trazido para o Brasil em 2013 e, após várias edições em Sorocaba (SP), agora também acontece em Porto Alegre (RS). Tá, mas como isso funciona? Bom, durante uma semana, garotas entre 7-17 anos são convidadas a ter uma experiência empoderadora, divertida e completa no universo musical. Em meio a atividades de fortalecimento da auto estima, desinibição e convivência em grupo, elas aprendem a tocar um instrumento (guitarra, baixo, bateria, teclado ou voz), formam uma banda, fazem uma composição inédita e no final as apresentam ao vivo em um festival aberto ao público. Nesse vídeo dá pra sacar melhor esse projeto lindo ♥

2. Zona LAMM – Laboratório de Artes Musicais para Mulheres

A América Latina é riquíssima em dialetos, ritmos de vida e sistemas culturais diferentes. Porém, diante de tanta diversidade, sempre é possível encontrar aspectos em comum entre nós, latinos. E foi isso que as mulheres do Zona LAMM – Laboratório de Artes Musicais para Mulheres foram atrás, em outubro de 2016. A residência artística reuniu 7 mulheres latino-americanas por três semanas para que pudessem trocar figurinhas sobre estética, ritmos e até mesmo linguagem. Também rolaram oficinas e rodas de conversa com o público local. Nesse vídeo, um pouquinho dessa experiência tão enriquecedora:

3. Sonora: Ciclo Internacional de Compositoras

Por vergonha ou por falta de espaço, muitas mulheres já engavetaram seus poemas e letras de música. O Sonora: Ciclo Internacional de Compositoras nasceu pra tentar mudar essa realidade. A mostra não competitiva começou de forma despretensiosa, depois que a compositora mineira Deh Mussulini lançou a #mulherescriando. A hashtag ganhou força e a paulista Larissa Baq propôs a criação de um festival de compositoras. A ideia se multiplicou rapidamente e hoje já se concretizou em capitais brasileiras como São Paulo, Porto Alegre, Natal e também fora do país em Barcelona e Dublin. No evento, as mulheres tem espaço pra mostrar suas criações e debater sobre questões importantes pro movimento. Fica atenta na página delas no Facebook, a sua cidade pode ser a próxima a receber o festival.

4. Sêla

O Sêla é um festival que não se intitula como tal. Tá, mas como assim? As mulheres deste coletivo entendem que o importante é formar e fortalecer aliança entre mulheres nos palcos e nos bastidores da música, e isso pode ser feito de diversas formas: desde um selo até um festival em si. Por isso, o festival é feito por mulheres, para mulher e por mais mulheres cantando, compondo, produzindo e tocando. E esse ano elas já fizeram uma galera se unir! Em São Paulo, foram cinco dias seguidos de shows. Tássia Reis, As Bahias e a Cozinha Mineira, Tiê, Sara Não Tem Nome e outras minas incríveis passaram pelo festival. O que mais será que vem por aí? Pra não perder nada, segue elas no Facebook 🙂

5. Women’s Music Event

Assim como o Sêla, o Women’s Music Event também não se limita só a um festival. Em primeiro plano, ele é um portal de conteúdo, negócio e tecnologia feito por mulheres e para mulheres. A plataforma lança conteúdos exclusivos semanalmente que vão desde playlists, matérias, colunas fixas até programas em vídeos. O WME Sessions, por exemplo, é uma série de vídeos de shows intimistas gravados só pro canal. Olha quem já passou por lá ♥

É, gente, a versão nova da música da Valesca tá incrível mesmo, mas não para por aí. Em março desse ano, em São Paulo, rolou um evento também do MWE. Foram painéis de debate, workshops, festas e shows. Nomes como Marina Lima, Mahmundi, Karina Buhr e Lay participaram do evento. Isso sem contar com as minas que estão por trás de super eventos como o Lollapalooza Brasil, Popload Festival e produtoras de banda que passaram o que já aprenderam pra outras mulheres.

Curtiu? Se você é de alguma das cidades que rolam esses festivais, segue a páginas deles no Facebook e fica atento a próxima data! Fomentar esta cena é muito importante. Assim como ouvir essas mulheres incríveis aqui:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *