Esses tempos um crítico britânico definiu Jake Bugg como um artista de “exibicionismo mínimo e talento máximo”. Já é um grande ~slogan~, né?! De poucas palavras, sinceridade afiada e sempre com cara de resfriado, Bugg é um menino-prodígio. Aos 16 largou os estudos pra viver de música e em apenas UM ano já emplacou o álbum no topo das paradas, foi comparado ao Bob Dylan e lançou músicas viciantes.

E adivinha? Ele tá vindo pro Brasil em 3, 2, 1. Dizer que os shows são imperdíveis é chover no molhado, mas pra dar ainda mais vontade de conferir, aí vão 5 factóides sensacionais que nos fazem curtir tanto o novo fenômeno do folk rock.  

1. Jake, o fã dos Simpsons

Aos 12 anos, enquanto a gente assistia “Os Simpsons” pra ver o Homer brigando com Bart e o Bart brigando com Milhouse, Jake descobria no programa suas referências musicais. Foi depois de ouvir “Vincent“, de Don McLean, num episódio em que a Lisa se interessa por astronomia que ele foi atrás de toda a discografia do cara e começou a compor e tocar violão. 

JAKE 1

2. Jake, o artilheiro

Ao lado de Don McLean, Jake elencou seus outros grandes ídolos. Eis que nessa lista estão: Alex Turner, Jimi Hendrix, Beatles e…PELÉ. SIM, Jake é fã de futebol. Inclusive revelou em uma entrevista que se não tivesse se tornado músico, queria ter sido jogador. Diz ele que por isso tinha tanta vontade de conhecer o Brasil, queria muito assistir alguns jogos. Vem que a gente te leva, Jake.

JAKE 2

E não é que ele manda BEM? No camarim do Lollapalooza, jogou de ~brincs~ com o Brothers of Brazil. Quem gravou o vídeo foi a banda brasileira, aí o gol que aparece é o do Supla. Só que rolam boatos de que Jake fez OITO gols depois. Isso o Papito não mostra, né…

3. Jake, o engajado

A gente sempre soube que por trás dessa carranca batia um coraçãozinho. O rolê que Jake deu pela favela Heliópolis no inicio desse ano comprova: ele é um bom menino. Jogou futebol, conheceu os moradores, se aventurou no grafitti e fez até show ao lado do grupo de rap “Avante O Coletivo”. A visita virou um mini-documentário e conseguiram registrar até alguns sorrisinhos.

Jake Bugg

Saca só o documentário:

E o show:

4. Jake, o inovador

Superprodução não é com ele. Até porque, convenhamos, músicas calcadas no blues e no folk, como as de Jake, ficam melhor ainda em versões mais puras. As faixas “Taste It”,”Trouble Town”, “Lightning Bolt” e “Broken”, do primeiro álbum são, na verdade, demos. Demais, né? Mais foda que isso só o ~crepitar~ da faixa “Fire”, que ele gravou com o iPhone. A gravadora tentou replicar o barulhinho com tudo que era jeringonça no estúdio, mas não teve jeito.

JAKE 4

5. Jake, o romântico

Que Jake tem boas referências musicais já tava comprovado, mas descobrimos que ele também manja de cinema. Quando começou a se apresentar, ficou conhecido por tocar o tema do longa “Romeo And Juliet”, feito nos anos 60. “What Is A Youth” fala sobre a ~beleza do primeiro amor~ e o cover de Jake combinou direitinho com a temática. Dá pra imaginar o suspiro coletivo das meninas quando rola essa faixa no show, né?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *