SPOILER ALERT: antes de começar a ler, dê play aqui

Mac DeMarco desembarca no Brasil pra 5 shows em novembro e você ainda não conhece o som do cara? A gente te apresenta 🙂

Com 25 anos, 3 álbuns e 1 EP debaixo do braço, o canadense parece não se importar muito com o sucesso e, sim, em fazer seu som. Fugindo do modelo convencional das grandes gravadoras, ele lança disco quando dá vontade. Prova disso é que esse ano, o cara já botou na rua dois álbuns: um deles é o “Another One”, disco que ele vem divulgar em terras tupiniquins, e o outro se chama “Some Other Ones”, uma trilha sonora pra churrascos.

Barbecue

É isso mesmo, a gente não tá pirando: Mac DeMarco gravou músicas só pra você ambientar uma boa ~churrascada~. Pode até ser brincadeira da parte dele (ele é SUPER zuero), mas o negócio é que o resultado ficou muito bom pra quem só tava brincando: http://bit.ly/1HMKaBp

Por esses e outros motivos, Mac ganha cada vez mais nosso <3 e espaço na trilha sonora da Youcom. Tá mais do que na hora dele ganhar o seu também. Então, que tal fazer uma tour pela discografia do cara com a gente? Vem:

1. Rock And Roll Night Club (2012)

Rock And Roll Night Club é a “ovelha negra” da discografia do Mac DeMarco. Não é como se o EP fosse ruim, pelo contrário, mas foge bastante do resto dos álbuns do canadense. Parece que ele juntou todas as suas influências (rock dos anos 50, 70 e 80 + beach music), colocou em um liquidificador e dali saíram 12 músicas. O que é super compreensível pra um primeiro registro. Afinal, nunca se sabe se vai ter outro, né?

E o resultado dessa mistureba é um disco que te leva pra outras décadas sem parecer temático. Você percebe as influências CLARAS, principalmente dos anos 1980, ao longo do disco e os chiados + passagens de rádio só enfatizam esse sentimento de nostalgia, mas mesmo assim dá pra perceber que foi um disco gravado nos anos 2010. Vale muito a pena entrar nessa ~viagem~.

Pra dar play: “Rock And Roll Night Club”, “Baby’s Wearing Blue Jeans” e “Moving Like Mike”.

Rock-And-Roll-Night-Club2. 2 (2012)

Se em “Rock And Roll Night Club”, Mac parecia confuso, aqui ele achou o seu caminho: o mar. O segundo disco do cara tem tudo a ver com esse clima ensolarado, alegre e na maior parte do tempo tranquilo. O mais curioso é que o canadense é de Montreal, uma cidade bem fria e longe da praia.

Pra acompanhar a ~vibe~ litorânea, o músico escreveu letras leves sobre rotina, família e tem até uma declaração pra namorada dele <3 ( é a faixa “Still Together”). Pra fechar com chave de ouro, o maluco ainda gravou uma ode ao seu cigarro favorito: Viceroy.

Pra dar play: “Cooking Up Something Good”, “Freaking Out The Neighborhood”, “Ode To Viceroy” e “Still Together”.

2

3. Salad Days (2014)

Depois de dois anos em tour, sem descansar um segundinho, Mac parou pra escrever o seu terceiro álbum: “Salad Days”. Até pode parecer, mas o nome do disco não tem nada a ver com dieta. A gíria é usada pra falar dos “dias verdes”, ou seja, da inexperiência de ser jovem.

E é sobre isso que ele canta logo na primeira música. O som é sobre ele estar exausto de tantos shows, mas serve como lembrete pra não esquecer de “agir como a sua idade” – como canta no refrão. A música até pode ser sobre o cara, mas o chapéu acaba servindo em todo mundo que tem seus 20 e poucos anos e tá sendo sugado pelo trabalho. Por essas e outras, o disco é praticamente uma selfie dessa geração e ganhou espaço nas listas de melhores do ano passado 🙂

Esse é um daqueles discos PERFEITOS pra levar em uma road trip e ouvir até arranhar! Dá pra ouvir em looping sem cansar porque é super linear. Além disso, a vibe dele tem tudo a ver com férias, mar, praia… ah, sdds 🙁

Pra dar play: “Salad Days”, “Blue Boy”, “Goodbye Weekend” e “Chamber Of Reflection”.

Salad-Days

4. Another One (2015)

O quarto disco do canadense ainda segue essa linha meio férias, mas dessa vez Mac DeMarco saiu um pouco da sua zona de conforto. Não é como se ele tivesse abandonado os timbres de guitarra incríveis que o consagraram, mas agora ele até arrisca construir a mesma sonoridade com outros instrumentos. Um exemplo disso é a faixa que dá nome ao disco na qual ele toca teclado <3

Resumindo: “Another One” não parece ter vindo da Califórnia e sim de Marte, Plutão, Júpiter… é um disco com um clima mais ~espacial~. Não chega a beirar a psicodelia, mas parece ter vindo de uma década, um lugar que nunca existiu.

Só sabemos que o disco vem da Terra quando nos deparamos com a sua temática: ele é da primeira a última música sobre amor, abordando cada um dos diferentes ângulos desse sentimento que move tanta gente. E o Mac também <3

SPOILER ALERT: A última música do álbum, “My House By The Water”, traz o endereço da casa do cara em Far Rockaway, Nova York. Na faixa, Mac DeMarco convida seus fãs a irem até lá pra tomar uma xícara de café <3

Em entrevista ao Wall Street Journal, ele explicou que teve a ideia porque assim o fã “terá que ouvir o álbum até o final pra ter o endereço” e também porque se a pessoa se dá ao trabalho de visitá-lo, é porque é um grande fã. Partiu?

Pra dar play: “The Way You’d Love Her”, “Another One”, “I’ve Been Waiting For Her” e “My House By The Water”.

Agora é começar a contagem regressiva pros shows…

TCHAU

Comentários estão fechados.