Já estava na cara que arte e moda estavam se aproximando quando o rapper Jay-Z chamou Marina Abramovic, a mais importante artista performática do mundo, para participar da gravação do clipe-performance da música Picasso Baby, em agosto. Depois foi a vez de Lady Gaga lançar um manifesto que juntava arte e música pop, na preparação do lançamento de seu novo disco, Artpop – ao mesmo tempo em que ajudava Marina a arrecadar dinheiro para a construção de um centro de arte em Hudson.

artsy00

Jay-Z organizou uma performance com Marina Abramovic para gravar um clipe

Faltava só o tema chegar oficialmente às passarelas – e chegou. Na Semana de Moda de Milão, Miuccia Prada escolheu mostrar a coleção verão 2014 de sua marca em um cenário composto por murais pintados por grafiteiros e artistas de rua. A ideia também apareceu nas estampas das peças, que tinham ilustrações de rostos gigantes.

artsy01

Detalhe do cenário da Prada, feito por grafiteiros

A tendência se confirmou na fashion week de Paris, onde a Celine também usou a arte de rua como inspiração. Sob os assentos da plateia do desfile, os convidados encontravam brochuras com imagens de grafite tiradas pelo fotógrafo frencês Brassai – enquanto viam na passarela looks que pareciam ter sido coloridos por pinceladas de tinta.

artsy02

Celine

Já Karl Lagerfeld transformou o Grand Palais em uma galeria de arte gigante para desfilar a nova coleção da Chanel que foi o mais comentado desfile desta tempora de Paris. Usando como referência artistas como Kandinsky, Jackson Pollock e Marcel Duchamp, a marca criou obras de arte cenográficas que faziam referência ao seu universo: havia um robô construído com embalagens do perfume Chanel No 5 e escadas feitas com as correntes usadas nas bolsas da grife.

Chanel at Paris fashion week

Parte do cenário da Chanel no Grand Palais

 

wgsn_logo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *