Muita gente por aí acha que viajar é a melhor coisa da vida e que carimbos em passaporte, cheiro de gasolina de avião e tudo mais que envolve uma viagem é tão viciante quanto jogar Candy Crush. Muitos destes viciadinhos levam o assunto tão a sério que decidem seguir carreiras praticamente nômades, daquelas que fazem o sujeito perambular pelo mundo para sempre. Se você é um desses e ainda está em dúvida sobre como vai sobreviver e viajar ao mesmo tempo, inspire-se nesta superlista de trampos dos sonhos para viajantes. E se o seu futuro emprego estiver aqui, por favor, não esqueça de nos mandar cartões postais de vez em quando, ok?

1. Piloto de avião

Cruze oceanos o tempo todo, sempre com a vista privilegiada da cabine. Durma quase todas as noites em lugares diferentes, inclusive naquelas camas escondidas dos aviões. Conheça línguas novas, comidas estranhas e pessoas legais. Bote banca de importante, com seu quepe e seu uniforme cheio de listras no ombro. E o melhor: passe reto pelo guichê de imigração – aquela coisa tão chata que nem os mais viciados em viagem conseguem gostar.

2. Comissário ou comissária de bordo

O piloto ali em cima pode até ser o responsável por levar as pessoas pelos ares com segurança. Mas garantir o conforto do povão (principalmente o da classe econômica) é tarefa para a brava e sorridente equipe de bordo, que viaja tanto quanto os comandantes, mas sem a responsa de pilotar aquele trambolho voador cheio de almas encarnadas. Deixar toda essa gente feliz não é um trabalho fácil, mas vamos combinar que é bem mais relax do que o serviço de quem está na cabine, né?

3. Jornalista de turismo

É simples: publicações de viagem precisam de jornalistas que viajem. É aí que você entra, sendo pago para desbravar cidades, regiões e países em busca das melhores dicas para os seus queridos leitores. Mas atenção: para cada dica, você precisa passar por muitas roubadas, então não vá pensando que é tudo facinho como nessa foto aí, não. E ainda tem um chefe lá na editora, esperando um por um texto perfeito escrito por você.

4. Professor de inglês

O inglês não é a língua mais falada do mundo, mas enquanto o mandarim for terrivelmente difícil de aprender, o idioma da dona Elizabeth II vai continuar sendo o mais usado por quem tem que se comunicar com estrangeiros e o planeta inteiro vai seguir precisando de professores de inglês.
É claro que as escolas preferem quem fala inglês desde a barriga da mãe, mas existe espaço para gringos bem estudados. Então corra para fazer o seu TOEFL, IELTS, TOEIC ou qualquer outro destes testes e comece a procurar empregos pelo mapa-múndi.

5. Equipe de barco ou navio

Se você não é enjoadinho nem tem medo de ficar longe da terra firme, fazer parte da equipe de um barco ou de um navio é uma baita forma de viajar pelos 7 mares com casa (ou melhor: beliche numa cabine), comida e roupa lavada (por você mesmo). Não é um trampo fácil, mas é a forma mais romântica de se vagar pelo mundo e a sua grande oportunidade para se vestir de marinheiro. Só não esqueça do protetor solar.

6. Jornalista correspondente internacional

Se o jornalismo é a sua praia, mas você não quer escrever só sobre viagens, a vaga de correspondente internacional de algum veículo de comunicação pode ser o que você está procurando. Tudo bem que esse pessoal acaba ficando muito mais tempo em uma cidade base do que viajando enlouquecidamente, mas eles também não costumam esquentar as poltronas nessas cidades e volta e meia são transferidos para outros lugares do mundo. É aí que a coisa fica boa e o empregão dos seus sonhos vira realidade.

7. Fotógrafo freelancer

Uma câmera, um bom olho para enxergar cenas bonitonas, muita habilidade para fazer fotos, um passaporte, inglês na ponta da língua e um monte de coragem para encarar a vida sem a garantia do salário fixo no fim do mês. Se você tiver tudo isso, está liberado para correr pelo mundo como fotógrafo freelancer, fazendo cliques como se não houvesse amanhã e tentando vender suas imagens para revistas, jornais e quem mais precisar de algo sobre os lugares por onde você passar. De quebra, seu Instagram ainda ganha um baita potencial para fazer sucesso.

8. Diplomata

Ser um diplomata não é bolinho e você precisa entender de um monte de coisas que podem ser bem chatas (economia, política, administração, direito e etc), mas a recompensa é pra lá de boa: morar em capitais gringas com um bom salário, viajar com as mordomias que só os portadores de passaporte diplomático têm e ainda mudar de cidade de tempos em tempos, mudando de ares e aquela coisa toda. Não é por nada que tanta gente tenta passar no concurso do Itamaraty. Se você não for um milionário, essa é a melhor forma (ou talvez a única) de correr o mundo em grande estilo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *