Só uma coisa consegue ser maior do que o nosso mundão: a quantidade de histórias bizarras que inventamos ao redor dele. E no meio de tantas histórias, volta e meia aparecem lugares tão estranhos, com nomes tão malucos, que viram lendas e ninguém mais sabe se existem mesmo ou se são viagens de ácido das cabeças dos autores.

Para tentar organizar um pouco essa zoeira, catamos alguns lugares míticos que existem de verdade. Quer dizer: alguns são regiões ou cidades e você pode até passar uns dias neles, mas outros são ruínas ou nem isso – só que o pessoal entendido no assunto (arqueólogos e outros colegas de Indiana Jones) jura que os tais lugares existiram mesmo.

Será que esse pessoal não está inventando essas histórias também?

1. Timbuktu

O lugar que virou sinônimo de “quinto dos infernos” existe mesmo e é habitado por 55 mil pessoas. Ele fica no Mali, na África, e tem tantas construções fantásticas que é considerado Patrimônio da Humanidade. Dizem que Timbuktu virou lenda porque sempre foi o fim de uma rota de comércio, então chegar lá era realmente um perrengue terrível. Fama merecida, portanto.

2. Shangri-la

Os gaúchos vão dizer que até já passaram Carnaval nesse lugar, mas não. A Shangri-la mítica, sinônimo de “paraíso distante”, não tem nenhuma relação íntima com a Xangri-lá gaúcha. Na verdade, ninguém sabe exatamente onde fica esse lugar, só se sabe que é ali pela região tibetana do Himalaia, o que já fez várias cidades da área se declararem as originais, de olho na turistada enlouquecida. Uma delas, que se chamava Zhondian, chegou até a mudar de nome e hoje é oficialmente Shangri-la.
Esse pessoal zen é bem esperto, hein?

3. Cochinchina

Igualzinho a Timbuktu, a Cochinchina é sinônimo de lugar muito, muito, muito longe. E pode até ser longe mesmo, mas só para quem não mora pelas bandas do Sudeste Asiático, já que a Cochinchina fica no sul do Vietnã. O nome foi dado por navegadores portugueses, mas a origem da fama é incerta. Se bem que, se olharmos o quanto os navegadores viajaram para ir de Lisboa até a Cochinchina, até dá para ter uma ideia.

4. El Dorado

Opa! Finalmente um lugar pertinho do Brasil! A tal de El Dorado (que por aqui já virou Eldorado, com tudo junto) foi uma cidade colombiana que – dizem – era coberta de ouro. Os conquistadores espanhóis se tocaram para o meio da Amazônia procurando o lugar, mas nunca encontraram nada. Hoje, a antiga El Dorado pode ser “visitada” em uma simplérrima day trip a partir de Bogotá, pela região onde fica o lago Guatavita. Mas não espere muito. Aliás, não espere nada, porque você só vai ver floresta e água. Tudo lindo e tal, mas nada de cidade. Só floresta e água.

5. Xanadu

Para 90% da população ocidental, a palavrinha “Xanadu” deve significar uma música grudenta e gente com roupas dos anos 70. É tudo culpa de um musical com este nome, que fez um baita sucesso na época em que seus pais tinham a sua idade ou estavam apenas nascendo. Só que Xanadu (que no original se chama Shangdu) foi bem mais do que isso. Ela foi a capital de um imperador mongol, lá nos anos 1200, onde hoje é a China, e ficou famosa pela beleza, pelos jardins e por um monte de coisas bem mais bonitas do que qualquer figurino de filme dos anos 70. Nisso, pode acreditar na gente.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *