Nos últimos anos, o número de bloquinhos de rua aumentou demais nas principais capitais brasileiras. Rio de Janeiro e Salvador serviram de exemplo pra outras cidades como São Paulo, Belo Horizonte e Porto Alegre colocarem suas CENTENAS de blocos na rua. Usando a cidade como palco, e dando assim o real valor que ela merece, pessoas fantasiadas e glitterizadas passaram a dar cor pro asfalto cinzento durante o Carnaval ♥

E se tem uma coisa que não pode faltar em um bloquinho, é música boa. Então, é óbvio que bandas incríveis acabariam formando os seus. Aqui a gente te apresenta alguns que chamaram a nossa atenção e, talvez, entrem pra sua wishlist também:

1. Bloco Calor da Rua (Francisco, El Hombre)

Vivenciar a rua sempre foi uma necessidade pra Francisco, El Hombre. A banda que é metade mexicana, metade brasileira colocou os seus instrumentos no mundo lá no começo da carreira, quando decidiu sair em turnê pela América Latina, sem shows marcados, cantando na rua ou nas casas que lhe dessem palco, e assim foram acumulando experiência. Depois de serem assaltados na Argentina e terem todos os seus pertences roubados, a banda fez uma vaquinha pra arrecadar dinheiro pra voltar pro Brasil, os fãs bancaram e daí surgiu a vontade de levar o que era um “hobbie” pros integrantes como uma atividade profissional. 

Em 2016, nasceu “Soltasbruxa”. O primeiro disco da banda, repleto de músicas animadas e politizadas, e ele, naturalmente, foi levado à passear na rua. Em 2017, a Francisco levou o trecho “Já sei pra onde vou/ Eu vou sentir o calor da rua”, da música “Calor da Rua”, ao pé da letra e criou o seu primeiro bloco de Carnaval: o “Eita, Fudeu”. Com o sucesso do ano passado, a banda volta a desfilar no asfalto esse ano, agora com o bloco “Calor da Rua”, acompanhada da Bateria Flor do Asfalto. Não perde essa, é dia 18 de fevereiro (domingo) na Praça Orione, em São Paulo, e promete um repertório com músicas da banda, releituras de artistas como Caetano Veloso, As Meninas e Porcas Borboletas, e muito mais.

2. A Espetacular Charanga do França (Thiago França)

As cores azul e prata – em homenagem aos orixás Ogum e Iemanjá – desfilam pelas ruas do bairro Santa Cecília, em São Paulo, nas segundas de Carnaval desde 2015. O bloco “Espetacular Charanga do França”, idealizado pelo saxofonista do Metá Metá, Thiago França, recebe músicos de bandas incríveis como Bixiga 70 pra tocar o repertório mais democrático possível: marchinhas clássicas como “Se a Canoa Não Virar”, “Me Dá um Dinheiro Aí” e “Mamãe Eu Quero”, e ainda alguns sambas raiz.

E o mais legal: pra aquecer pro bloco, o músico libera no blog pessoal dele as partituras das músicas selecionadas, pra que todo mundo que está aprendendo um instrumento de sopro possa treinar e aprender em casa. Esse ano, a camiseta do bloco foi desenhada pela INCRÍVEL Tulipa Ruiz e o bloco sai no dia 12 de fevereiro (segunda), na Conceição Discos, em São Paulo. Aqui, um documentário sobre a primeira saída do bloco ♥

3. Navio Pirata (BaianaSystem)

O que seria o BaianaSystem? Um grupo? Uma banda? Um soundsystem? Um coletivo? Tudo ao mesmo tempo e agora? Bom, a gente não é capaz de opinar sobre isso, mas podemos te falar que eles são um dos maiores fenômenos brasileiros dos últimos anos. A banda, que se formou lá em 2009, ganhou notoriedade depois de lançar o disco “Duas Cidades” e combinar brilhantemente a cultura sound system com a guitarra baiana. Além disso, o show catártico dos baianos foi eleito o melhor do Brasil em 2017.

É costume que todos os anos, eles se apresentem no carnaval de Salvador. Do alto de um Navio Pirata, feito especialmente pra ocasião, a banda propõe uma nova ordem: catártica. Transformando o trio elétrico em soundsystem ambulante e o Carnaval em uma experiência social, a banda leva a galera a loucura. E este ano, além de desfilar em Salvador, a banda atraca seu navio em São Paulo no dia 17 de fevereiro. Sente só, a energia desse navio:

O Navio Pirata do BaianaSystem não afunda!

Publicado por Jorge Bizzi em Domingo, 4 de fevereiro de 2018

4. Bloco das Poderosas (Anitta)

O Bloco das Poderosas, criado por ninguém menos que ANIRA, estreou lá em 2016 e de início já arrastou 180 mil foliões. Mas como estava pouco, a diva resolveu QUADRIPLICAR a meta, e em 2017 levou 400 mil pessoas. Bom, mas e o motivo de todo esse sucesso? Primeiro que é ela, Anitta, indo até o chão e cantando o melhor do seu repertório, do samba, do axé, da MPB, do pop, e tudo mais que animar esse povo todo. Segundo, que a estrutura do trio elétrico é realmente gigantesca, já na primeira saida foram duas caravanas. Terceiro, é que os convidados especiais valem MUITO à pena, ano passado, por exemplo, rolou Pabllo Vittar e Nego do Borel. 

Foi catequizado? Então, anota as datas e pre-pa-ra: dia 09 de fevereiro, em Salvador, e 17 de fevereiro, no Rio de Janeiro. Uma provinha do ano passado:

E aí, curtiu? O negócio é não ficar triste se não for de nenhuma das cidades desses blocos, e se jogar nos das sua cidade ♥ E o que aquece, deixa com a gente:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *